sábado, 10 de maio de 2008

Tempo sem tempo...




















Tempo sem tempo...

O fogo do sol brilhava sobre a rosa pelas almas e corpos que se entregavam às delícias da paixão. Suavemente, as mãos dele deslizaram em todos os caminhos de beleza dela. E foi botão de rosa. O sol, timidamente, acariciava-a e, enternecido e os seus raios eram carícia. Sensações mil despertavam o desejo para que as pétalas viçosas e virgens se abrissem. O sol fugia e reaparecia numa intensidade cada vez mais apetecida. E ele dançou nela, envolvendo-a docemente nesse calor inebriante. E ela dançou com ele. E a pétala sangrou no seu abrir lento. A sedução era a entrega sem limites. E a primeira seiva de vida correu. Sorriu ao sol e o seu perfume foi oferta àquele calor acariciante. E o sol tomou-a inteira. A ternura da paixão conquistou-a até ao fundo da sua alma. Momento mágico de vida! As suas pétalas tinham-se aberto agora em plenitude. Milagre de vida e a rosa nasceu plena.

Ambos sorriam… neles uma primavera.

singularidade

3 comentários:

LMP Luxemburgo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=SKVY8tYESsI
( One last cry - Marina Elali )
CORAÇÃO TRAÍDO
[blush]
Coração meu, que tão faminto vives
e à luta te vais entregando com ardor,
diz-me porque quis o divino ourives
em ti fazer nascer a fonte do amor?

Tu, que tantas vezes choras sem razão
e do peito dolorido queres te apartar,
diz-me porque iludir te deixas pela paixão
que em ti o elixir da vida teima em plantar?

Gritos tristes, que pelo mundo voam
à procura de um arco-íris bem colorido
para pintar as frustrações que magoam

quem por elas deu o tempo por perdido,
são amores que gemebundos ecoam
no coração que por eles se viu traído...
[love]
LUD
MacMartinson - Luxemburgo

Fallen Angel disse...

Olá linda, aqui te deixo um beijinho de uma excelente semana.

Parapeito disse...

mais uma vez gostei de te ler ternura.

beijo beijo**