terça-feira, 15 de abril de 2008

Asas para voar



















Sinto-me perdida
atada
sem forças
para partir
os grilhões
da vida,
a tristeza desflorou
cheia de mágoa e dor...
percebi de repente
ter asas
o desejo em mim
incontrolável
de voar...voar....
Mudei de rosto
abri as asas
pelos céus
nadei no vento
bebi lágrimas
a alma pairou
caio na terra
mergulho no fundo
o medo esvai-se
aprendi a amar....
sensação de liberdade...


singularidade

1 comentário:

Luís Nunes disse...

Esá lindo Isa, adoro ler-te poetisa , adoro , adoro , este espaço já faz parte do meu ritual diário , beijo