segunda-feira, 14 de abril de 2008

Espelho





















Amanhece no meu quarto a esperança

mas vejo no teu semblante sofrido

o reabrir de janelas partidas,

onde o teu olhar caminheiro

acende na maré do sonho a vida,

entre todas as cores num bailado de luzes,

como se fora um rio gritando no silêncio.

Quem chora ou ri, pensando além

e se despede do dia cobrindo-se c’o a noite?

P’la manhã tua face reaparece sorrindo

e jubilosamente corres atrás do mundo

não numa ilusão efémera e estéril

mas num futuro esperado e sonhado

em que brilha o teu sorriso no espelho da vida.



singularidade

1 comentário:

ZezinhoMota disse...

Isa, amiga querida!

Está muito bonito este teu novo cantinho e evidentemente que segue a beleza quer na feitura do blog como poesia dos anteriores.

Parabéns e eu cá estarei a dizer-te olá no após leitura.

Bjnhs doces
com os votos de uma boa semana.

ZezinhoMota

As minhas poesias;
http://zezinhomota.blogspot.com
As poesias dos outros;
http://poetaremportugues.blogspot.com
A imagem do meu país;
http://ominho-zezinhomota.blogspot.com