segunda-feira, 23 de junho de 2008

Dança
















Sintonizamos os nossos corpos
apuramos os nossos sentidos,
rodopiamos numa dança de sensações,
o som de um violino
nos envolve
é magia e sedução
em nós.
Na pista,
somos mágico flutuar
nos teus braços
sou uma pluma...
sou cisne branco...
nesta dança inebriante.
Sem fim
sem limites
dançamos, até à exaustão...
sou levada às estrelas
seduzo o universo.
A dança, música e a ribalta
tudo é luz e cor
iluminam a nossa solidão
almas coladas
numa sintonia de Amar...
dançamos pela noite fora...


singularidade

6 comentários:

Parapeito disse...

Que bom que é quando na sintonia do amor dançamos até as estrelas sem nos cansarmos.

Gostei :)) Mas jé te tinha dito!
Beijooo

Miguel Augusto disse...

A dança, a dança! O que me comove a sério e inevitavelmente é a dança de dois corpos, equilibrados num patim cortando o gelo! Bonito poema!

Filipa Epifânio disse...

"Na pista,
somos mágico flutuar"

Que palavras mais bonitas :)

Que para sempre a dança nos acompanhe*

Amorvosso disse...

De facto tens uns belos e continua assim k a gente gosta.

Amorvosso

Aninha disse...

Demorei algum tempo até decidir em qual das mensagens deixar um miminho. :) escreves com o coração por isso qd leio fico com um bocadinho da tua alma esvoançante no meu coração. beijinhos grandes Sing. :)

maresia_mar disse...

Olá

deixo-te um beijo ainda com cheirinho a S. João