domingo, 15 de junho de 2008

Feitiço















Corria...corria...
fugia talvez
do brilho
das estrelas
da felicidade
ele teimava
em desejar
saciar a vontade.
Rodopiando no ar
caindo no dourado
ofegantes
entrelaçados.
Os corações
pulsavam
a alma sorria
o corpo cobiçava
as mãos exploravam
ensandecidas
o mapa desconhecido.
Deitados,
de mão fundidas
reluziam...

singularidade

10 comentários:

Parapeito disse...

vou me repetir :)....mas o céu o limite??
Na na...o céu e mais além!!!

Gostei
Que a Força esteja contigo.

beijuu

Miguel Augusto disse...

É sempre bom termos mapas para e por explorar...

DDD disse...

Muito bonito poema :') e foto a acompanhar nao fica atras ;)

*

maresia_mar disse...

Olá Isa linda
gostei tanto de vir aqui, prometo ler tudo com mais calma.. um beijo grande de mim para tu

lena disse...

perdi um dia o mapa...

bela conjugação

o bom ler-te, tem tudo, num correr de versos teus onde moram a paixão, a felicidade e até o desejo de saciar a vontade do desconhecido

beijinhos muitos e a ternura de um abraço amigo

lena

Anónimo disse...

Lindooo :)

Gostei, gostei
Beijos

Laurelin

Luís Nunes disse...

Gosto de ler e de vez em quando cá te venho visitar, um abraço amiga.

Filipa Epifânio disse...

Palavras que se lêem num só fôlego e sem nos perdermos...excelente :)

João Videira Santos disse...

com ritmo e singularidade na fusão do sentido com as palavras...interessante!

maresia_mar disse...

Olá

deixo-te um beijo ainda com cheirinho a S. João