quinta-feira, 3 de julho de 2008

O teu olhar















Olhando o mar

Os raios solares seduziam

Os sentidos

De um brilho ardente

Todo ternura

Transpareceu um olhar

Iluminado pela serenidade

Pulsa no coração

Perto da alma

Os mistérios e feitiços

A magia do sentir.

A partilha

Dos corpos

Almas

Em sintonia de palavras mudas

Onde o silêncio ofusca o vazio.


singularidade

7 comentários:

Parapeito disse...

...Que belo olhar este Ternura!
E que maravilhoso estado de alma :))
Muitos dias assim para ti Ternura...

Abraço de brisa fresca`***

Paradoxos disse...

Poema puro e de uma transparencia singular e elevada! Abraço

Nilson Barcelli disse...

Seduzidos ficam os sentidos de quem te lê.
Excelente poema cara amiga.

Bfs, beijinhos.

Parapeito disse...

beijo beijo para ti Ternura...pela tua chegada....Sempre a voar....sempre a voar :P

Fallen Angel disse...

Olá querida!
Aqui te deixo um grande beijinho, muita luz para te iluminar o teu caminho e para te aquecer teu coração.
Adoro-te.

Mariz disse...

Salvé!
Na singularidade do eu...~
Na multiplicidade do nós...~
Numa comunhão mas-que-perfeita...~

Mariz

Nuno disse...

O teu olhar
reflecte-se no mar
que ao brilhar seduzem
a quem for navegar...

Gostei deste teu olhar

bjinhos

Gato_malvado