quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Vozes do silêncio














Perdida por entre as vozes,
dividida entre silêncio e solidão,
brincam exuberantes crianças.
Mães, de olhos escondidos
sob translúcidos véus,
pressentem o frio
que varre o adro sagrado.
Na insinuante luz dum espaço,
austero, imponente, mundo fechado,
envolto em riqueza ou ostentação,
pintam-se as palavras de mil cores.
Num fugaz movimento,
foco o povo arrastando pesados grilhões,
de ignóbeis preconceitos sociais,
e, no meu palpitante coração,
a eterna aspiração dum sonho,
que continua por realizar.


singularidade

13 comentários:

Ana disse...

Um belo poema cujas palavras nos tocam, fazendo-nos sentir a vida desse povo que pelas suas tradições, desconhece a verdadeira liberdade, vivendo subjugado a crenças e preconceitos sociais. Gostei muito porque me fizeste sentir e reflectir sobre o que tão bem escreveste.
Um beijinho muito grande,
Ana Paula

Perla disse...

Mas que se realizem os sonhos!

Beijinhos

tb disse...

há muitos mundos neste mundo...
belo e sensível poema!
beijinhos :)

ZezinhoMota disse...

Isa!

A tua poesia e a tua suavidade no fim de um dia de Outono!

É como uma música que nos embala...

Bom fim de semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

Å®t Øf £övë disse...

Aquilo que sonhamos em silêncio e solidão, devemos lutar por conseguir tornar realidade.
Bjs.

JOICE WORM disse...

Quem está vivo sempre aparece.
Deixo um beijo grande para o seu coração singular, Isa. Muac!

Ana disse...

Obrigada querida pelas tuas palavras sempre tão carinhosas. Fiz um poema sobre momentos felizes, e como não gostava da forma como terminava ontem à noite corrigi-o, e adicionei um video que gosto muito, penso que agora está melhor.
Vou ler mais poemas teus, já que estou por casa, ontem apanhei muito frio e hoje não consegui levantar-me cedo com dores no corpo. Felizmente ainda não é gripe, já tomei um "paracetamol" para prevenir, e espero amanhã já regressar ao "trabalhito".
Como o teu Blog figura no meu ando sempre a ver se tens novidades, mas ainda tenho muito que ler aqui e comentar, neste espaço fantástico.
Desejo-te um dia muito feliz!
Beijinhos ternos com sabor a mar. Ana

Nela disse...

Querida, está lindo como sempre, e dá para pensar também,há pessoas que não só por crenças, mas pôr hábito, se agaram a estes perconceitos, e não os deixam mais.Beijitos.

Nilson Barcelli disse...

Fizeste este belíssimo poema em Casablanca?
O ambiente que criaste com as tuas palavras é de uma qualquer mesquita ondas as crianças brincam e as mulheres vigiam sob as suas burkas...
Gostei imenso cara amiga Isa.
Beijinhos.

O Profeta disse...

MAnto de palavras tecidas na alma...


Doce beijo

Ana disse...

Miguinha Isa, o teu blog foi distinguido com o "Pémio Dardo".
Podes ver mais pormenores em:

http://behappyaveiro.blogspot.com/

Jinhossssss,

Ana Paula

Vieira Calado disse...

É muito actual, e necessário, este tipo de poesia de intervenção.

O contributo dos poetas, é fruto dum coração aberto e universalista.

Desejo-lhe um bom fim de semana.

Cumprimentos

Parapeito disse...

...cono li Vozes do silêncio ..antes de estar aqui....esqueci de comentar :)...mas tu já sabes o que eu penso...

A ver vamos se o sonho vira realidade

*****