sábado, 8 de novembro de 2008

Trabalho Infantil
















Num amanhecer,
feito esperança
Em silêncio
uma lágrima calada
lava o rosto
de um coração oprimido.
Na sacola o pão
na alma a magia
ao encontro dos amigos
caras sonolentas
corpos cansados
lágrimas choradas
livros e brinquedos
desfeitos
infância marcada
crianças esquecidas.
No olhar o sonho
da criança mal amada
no reverso da medalha.


singularidade

10 comentários:

Ana disse...

Um poema muito belo e pertinente, de um assunto preocupante. Infelizmente há crianças que não brincam porque são obrigadas a trabalhar. Lindo!!! Beijinhos muito grandes minha linda amiga, Ana Paula

margusta disse...

Crua realidade num belo poema!

um beijinho para ti querida Isa!!!

Parapeito disse...

...e mais uma vez..tu não fechas o olhos...nem o coração...

*******

vida de vidro disse...

Um belo e sentido poema sobre uma realidade que não podemos esquecer nunca. **

Dri Viaro disse...

e que realidade né

bjao

Betty Branco Martins disse...

.querida Isa




________a crueldade





da vida



.no.real_______...






um poema______repleto de verdades!







beijO____carinhO
bSemana

Nela disse...

Olá querida, belo poema, que dava pano para mangas mesmo,realmente á crianças que nunca chegaram a ser crianças, porque ou a vida, ou os pais, não os deixam ser, e quanto belo é a infância? quem não gostaria de voltar atrás no tempo nem que fosse por momentos amiga! boa semana e beijinhos

AnaMar disse...

Uma das mais duras realidades.

In Loko disse...

Poema lindo e sentido que retrata caminhos da vida de mágoas e incertezas... mágoas e incertezas que quando tocam às crianças são pesadelos castrantes, calados e duros... é o crescer sem ser memino e menina... é serem meninos-grandes-adultos!
Há-os em todo o lado, mas pior, miseravelmente pior, são os das zonas do mundo onde nascem já grandes, e para além da infância perdida e fome ressequida, têm de se sujeitarem à crueldade dos meio-ambientes de penúria e doentes... e às brincadeiras dos homens nas lutas e guerras desumanas!!!

Gosto do poema, gosto do teu sentir... menina minha amiga!

Beijinhos

tb disse...

as crianças que nunca o são. Gostei!
beijinhos