sexta-feira, 15 de maio de 2009

Tormento




Caminho
sem rumo, sem certezas,
numa vida sem sentido.
Rasgo o passado
em mil pedaços
de melancólicos dias,
de horas inconstantes,
de laços cortados,
de sonhos desfeitos,
de feridas abertas.
E a minha alma vagueia
no interior de memórias,
num extravasar de emoções
nuas e cruas.
Nada sou
neste vazio em mim...
Liberta-me deste tormento...
Abre a porta e deixa-me ir...
à procura de mim...


singularidade

7 comentários:

Ana disse...

É um tormento belo que deixaste aqui neste magnífico poema.
Tens mesmo um "dom" não só na prosa mas também na poesia.
És fantástica Isa. Adoro o que escreves, porque consigo sentir.
Sente também o meu abraço apertadinho,
Ana Paula

Linda disse...

Olá!
Não sei escrever! mas gosto muito de poesia principalmente quando ela entra dentro de mim. Foi o caso, parabéns pelo lindo poema.
Tenha uma boa semana.
Linda

Parapeito disse...

:))
Só vou dizer que gostei ternura*****

maresia_mar disse...

Olá querida Isa,
quantas vezes eu também queria ir à procura de mim... Escreves divinamente. Bjhs e bom fds

tb disse...

é bom quando vamos à procura de nós...lindo!:)*****

Criador_Sonhos disse...

Um caminho,
todos sabemos que ele existe,
todos o procuramos,
todos o percorremos???

Será que queremos?
Por vezes o caminho estende-se a nossa frente e temos medo...

Medo dos obstáculos...

É bom reler-te miga.

beijo

serás lembrada no meu cantinho

Vânia disse...

Mais importante do que nos encontrarmos é o caminho que percorremos para chegarmos a essa meta desejada.
Lindo poema! :)
****