segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Terra devastada


Terra devastada
Num ápice
Pelo dono legítimo
O caos no horizonte.
Vozes gritantes
Inundações de medos
Desbravam esperanças
Num apelo à vida.
De mãos dadas
Nó na garganta
Coração apertado
Esforços
Petrificam emoções
De dor
De sofrimento.
Na luta contra o tempo
A ressuscitar um novo alvorecer.


singularidade

6 comentários:

Ana disse...

Minha doce amiguinha és linda sabias? Porque tens um coração enorme e um talento incrível!!!

Obrigada por seres especial e por te preocupares com as vítimas desta catástrofe natural que nos afectou muito e elaborares este maravilhoso poema.

Desejo muito que os sobreviventes tenham força para superar tanta dor e seguirem em frente para uma vida nova (que nunca vai ser igual).

Bem hajas!!!


Jinhos doces,

Ana Paula

Maria de Fátima disse...

Olá Isa, o terramoto que aconteceu no Haiti foi uma enorme tragédia.Que os sobreviventes consigam recuperar e conseguir levar a vida para a frente com muita Fé e Esperança num futuro melhor.Beijocas.

Nilson Barcelli disse...

Uma bela homenagem através de um excelente poema.
Parabéns, querida amiga Isa, gostei imenso.
Um beijo.

Lylia disse...

é sempre tao bom ler-te doce amiga

uma preocupaçao que paira sobre o nosso mundo. infelizmente, sao coisas que nao podemos evitar, mas felizmente, podemos ajudar
beijo grande com muita saudade e ternura,
lucia

mariana emídio disse...

Olá Isa!
Parabéns pelo belíssimo poema, repleto de grande sensibilidade e realismo arrepiante.
Obrigada pela partilha, minha querida!
Beijinhos,
Mariana

Parapeito disse...

Ternura...um bonito gesto de ternura,
beijo***